O estudo, feito no Albert Einstein College of Medicine, nos Estados Unidos, acompanhou mais de 90 000 mulheres de 50 a 79 anos durante onze anos. Os pesquisadores cruzaram os dados sobre a prevalência de derrame cerebral entre as participantes e a quantidade de potássio que havia na alimentação delas.
A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda o consumo de pelo menos 3 500 miligramas de potássio por dia. As participantes do estudo, porém, ingeriam, em média, 2 600 miligramas do nutriente diariamente. Em 100 gramas de banana prata ou de extrato de tomate, é possível obter 358 miligramas e 680 miligramas de potássio, respectivamente.

Dieta-rica-em-potássio-benefícios-02

Estudo feito com participantes acima dos 50 anos descobriu que consumir maiores quantidades do nutriente diminui risco de derrame.

Segundo os resultados da pesquisa, as mulheres que consumiam mais potássio (3 193 miligramas por dia ou mais) foram 12% menos propensas a sofrer um AVC do que as que comiam as menores quantidades do nutriente (menos de 1 925 miligramas ao dia). Além disso, elas tiveram um risco 10% menor de morrer ao longo do estudo por qualquer causa.

A pesquisa, publicada no periódico Stroke​, ainda indicou que os benefícios do potássio são maiores em mulheres que não têm pressão arterial elevada. Entre elas, um maior consumo de potássio evitou até 21% dos casos de AVC. “Nossos resultados dão mais um motivo para que as mulheres comam frutas e vegetais, já que esses alimentos são boas fontes de potássio”, diz Sylvia Wassertheil-Smoller, coordenadora do estudo.

Segundo a Associação Americana do Coração, idosos e pessoas com problemas nos rins precisam tomar cuidado com o excesso de potássio. Por isso, quem deseja tomar suplementos do nutriente deve consultar um médico para saber a quantidade correta a ser ingerida.

Fonte: veja.abril.com.br/