Intubação orotraqueal prolongada ocasiona sérias consequências.

1 min - Tempo de leitura

A intubação orotraqueal prolongada (superior a 48 horas) pode contribuir para alterações da deglutição. A ocorrência dessas alterações pós-extubação encontra-se bastante documentada na literatura, com variação entre 44 a 87%. O mecanismo que leva a ocorrência de disfagia no paciente após intubação orotraqueal (IOT) prolongada é multifatorial e inclui as seguintes questões: inatividade dos músculos orofaríngeos, lesões glóticas, inflamação na mucosa e ulceração das pregas vocais. Diante destas alterações, é fundamental que a equipe de assistência ao paciente solicite a avaliação funcional da deglutição nos casos em IOT prolongada.

Fonte: www.facebook.com/disfagiaemfoco?fref=photo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.